quinta-feira, janeiro 19

Amor X Educar

Há tempos venho pensando em como o amor de mãe é ao mesmo tempo prazeroso e doloroso... Explico...
Desde que a Laura nasceu eu que cuidei dela exclusivamente até o sexto mês. Então voltei a trabalhar e a babá ficou com ela... Até aí tudo bem, pois moro em uma cidade pequena, que em apenas 2 minutos estou em casa.

Mas aí o tempo foi passando e agora aquele bebê que eu deixei de cuidar há 6 meses atrás exclusivamente, agora é cheio de vontades e está explicitando sua forte personalidade. Ou seja, chegou a hora da maturidade da mamãe e do papai intervirem nesse processo antes que seja tarde demais...

Há tempos atrás já iniciávamos o processo de educação impondo pequenos limites pra idade que ela tinha, mostrando que pode brincar com os brinquedos, que tem coisas que não pode colocar a mão e a garotinha descobridora do mundo, não sei se entendia, mas obedecia.

E não é que de uns tempos pra cá a Laura está querendo colocar as manguinhas de fora... O negoÇo tá feio... É ela ser repreendida que dá gritos, dá tapas no chão, na cadeira, ou em quem estiver mais perto. E mostra, no auge dos seus 12 meses, que não gostou da repressão.. (tenho vontade de dar um tapa beijo na danadinha quando ela faz isso).

Fora que quando faz algo errado e dizemos que não deveria (ela chora tão sentida que parece realmente que apanhou)... Aí meu coração que é tão mole e eu que sou tão besta penso no amor que sinto por ela e não quero vê-la chorar daquele jeito... Aí o meu lado racional me diz que não posso deixá-la fazer o que quer, pois o meu papel de mãe é ensiná-la os limites que a vida tem. Mas o coração fica em pedaços mesmo e eu nem tenho como esconder de mim... Tenho vontade de pegá-la no colo, aconchegá-la e protegê-la dos perigos que o mundo tem... O meu bebê tão pequenino e indefeso... E aí me lembro que é de pequenino que se torce o pepino e me fortaleço para mais um dia de educação.

Quantos AÍSSSS!!!

E tem sido assim... E sei que pelos próximos todos os anos da minha vida terei que ensiná-la, apoiá-la... Mas aí eu me pergunto: "Que amor é esse que dói tanto assim?" Um amor feito de renúncias.. Um amor que tenho que passar por cima dele por querer o melhor para o meu bem amado... Terei que conviver com esse dilema a vida toda? Pois sei que ainda teremos muitos momentos em que vou dizer não e ela vai se sentir contrariada. Eu também fui assim e minha mãe foi firme comigo. A mesma firmeza que minha mãe teve, eu terei que ter... Meu Deus como é difícil educar. Dái-me sabedoria Pai...

E com vocês tem sido assim também?

Beijocas e desculpem o desabafo...

Te amo filha, por isso diversas vezes digo que não pode, não deve, você se machuca... Quero o seu melhor sempre.
Mamãe Carol

29 comentários:

  1. A Yasmin também está cheia de vontades...
    Ela se joga para trás quando é contrariada.

    Devemos impor limites nelas sim né Carol. Temos que mostrar que nós somos autoridades e não elas.

    Não sei se a Laura já é capaz de entender, mas acho o cantinho da disciplina a melhor coisa a ser feita... (Claro isso se ela já entender o que está acontecendo e porque está sendo repreendida)

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Tem sido assim tbm! Minha #aos2 é muito questionadora e com 1 ano já queria mandar no mundo! Mas nós, paizão e eu, damos duro diariamente e todo mundo que conhece a pequena elogia seu comportamento!

    Beijão.

    ResponderExcluir
  3. Oh querida... e fase mesmo...rsrs ela sabe que voce quer o melhor pra ela e nos tanbem sabemos ksksk
    De facto educar e amar ao msm tempo nao e facil ..Bj

    ResponderExcluir
  4. É assim mesmo, Carol. Normal. Eles se frustram, não sabem lidar com esse sentimento novo... daí descontam no mundo, batem em tudo, na gente, jogam coisas no chão. E isso eles tbm têm que aprender que não podem fazer!!

    É difícil, mas é a nossa função e não devemos nos furtar dela. O pediatra da Laura me aconselha muito, sempre diz o que eu tenho que fazer (aos 2 meses ele me disse para ensiná-la a dormir, aos 11 ele me disse que chegara a hora dos nãos e das birras) e agora me disse que não adianta mais querer ver aquele bebê dócil e amável pq ele vai desaparecer junto com as frustrações da Laura. Mas que devo sim dizer os nãos, é claro. E eu digo. Sempre. Sem exceção. Sou chata a valer. Mas ela será educada, tenho certeza de que a Laura será uma menina muito educada. Ela vai poder ter todos os defeitos, menos mal-educada.

    beijos!

    ResponderExcluir
  5. nossa Carol.....estou vendo o que me aguarda....
    eu por enquanto falo não para o Theo e ele se acaba na risada...posso com isso???

    ResponderExcluir
  6. Ai Carol, e o pior q vai ser assim a vida toda sim.. afinal somos nós q temos q fazer a parte dificil.. Eu tenho até medo ás vezes, de não conseguir,não ser firme.. ai sei lá! mas força ai amiga!! Bjinhos Lili do Luanzinho

    ResponderExcluir
  7. Olá mamãe.
    Quer ganhar um convite-gibi ou lembrancinha com o tema da festa do sua filha ?
    Confira nossa promoção lá.
    Obrigada pela atenção.

    ResponderExcluir
  8. Ai queridona.... posso dizer?! Vai piorar!!!! auhhahuahuahu.... isso é só um pedacinho do começo! Mas educar é isso! E vc sabe bem o caminho das pedras, tá indo direitinho! =)

    Qto ao poema de Vinícius hj (vc sabe do que tô falando, rs) quero te dizer qu fiquei emocionada! Pq exatamente hoje eu estava conversando com marido pela manhã, sobre a morte de Elis (que hj faz 30 anos) e eu contava que não fui daquelas adolescentes "normais", eu amava Elis, Gonzaguinha, Tom Jobim e Vinícius! Eram meus ídolos! O livro que mais marcou minha adolescência, li aos 15 anos, foi "O poeta da paixão", biografia de Vinícius, nada comum pra uma adolescente! rs... Qdo descobri que estava grávida de gêmeos meninos, sabia que um se chamaria Leo pq foi Stella quem decidiu desde sempre, mas e o outro?! Sugeri "Vinicius" e só não foi pq temos 2 amigos irmãos com esses nomes, huahahuahuhaua.... nada a ver! rs!

    Bjão querida! Obrigada por me relembrar daquele poema lindo! =)

    ResponderExcluir
  9. Mas é bem assim mesmo, elas reagem assim, pq não sabem controlar sua raiva! Nós adultos qdo não conseguimos alguma coisa q queriamos muito sabemos nos controlar, mas mesmo assim as vezes choramos, as vezes brigamos, imagina uma bebe! Q bom q ela briga, fica brava, quer dizer q ela vai lutar pelos seus desejos.
    E logo log ela vai entender as frustrações.
    Minha Alice tem 4 anos e as vezes tem atauqes de furia...eu entendo, afinal ela so tem 4 anos!
    bjs amada

    ResponderExcluir
  10. Dói na gente repreender eles, mas acho que é mesmo a nossa função colocar esses limites. Isso é amor! O NIno faz tudo isso quando é contrariado, ele é extremamente doce mas ao ser contrariado vira uma fera haha! Acho normal e sei que se frustrar é também importante para o desenvolvimento dele. Com certeza a Laura vai agradecer um dia pela educação que esta dando!!!! Bjãoooooo

    ResponderExcluir
  11. Carol como é difícil... Sabe que nunca pensei que seria tão difícil, que fosse suscitar tantas reflexões, tantas cobranças e tristezas. Temos que fazer sim, acho que enquanto são pequenos. Desde sempre!!!!
    Agora, o pior é pensarmos se estamos no caminho certo! É um tão de conversar com o marido, de fazer uso de uma estratégia e outra.
    Sempre comento com minhas amigas pedagogas, professoras que nunca pensei que seria tão difícil educar meus filhos. Enquanto era professora no Brasil, trabalhava com formação, era tudo tão diferente! Por que será? Uma grande responsabilidade, porém uma cobrança menor.
    Mas é nosso papel... entre tantos que já temos....
    Um grande beijo e ótimo final de semana.

    ResponderExcluir
  12. É assim mesmo, pelo menos aqui em casa o educar é algo constante, rs

    ResponderExcluir
  13. É.... tem momentos que a Lara melhora, outros que ela faz uma birra master!

    O fato é que temos mesmo que ser firmes em nossas decisões, porque se não ai sim é que vai piorar, de forma mais difícil ainda de concertar!
    Eu morro de dó, mas isso eu consigo. Pelo menos por enquanto, tenho conseguido!

    ResponderExcluir
  14. Oi Carol, é assim mesmo. O nosso coração é mole, dói educar mas é necessário. E passa uma fase, a gente coloca nos eixos e aí vem outra. Temos sempre que estar colocando no rtrilho pois nossos filhos nos testam o tempo todo.

    Ah, gostei da ideia do manual de atividades kkk. Mas criatividade é só exercitar que aí ela vai brotando. Fico feliz em você pensar usar o blog como material de apoio. Assim o blog faz mais sentindo.

    Muito obrigada pelo carinho de sempre.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi Carol,
    voltei para dizer que vou alar sim para a Sofia cortar o caule para ver e mudo o resultado. Obrigada pela dica.
    Amnhã tem feira. Já sei o que vou fazer ...
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Ai Carol, coração de mãe é mole, rs. Dói mesmo repreender os filhos.
    Temos que pedir é sabedoria a Deus.

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi Carol! Tava louca para comentar aqui, mas o blogger não funcionava. Segunda-feira farei uma postagem citando a sua, tá, com a sua licença?! Você toca em um assunto complexo, porque, parece que nós mães temos tendência a nos sentirmos culpadas por qualquer motivo, não é mesmo?! Adoro vir aqui, Carol, e saber da Laura. O fato de sua filha ter o mesmo nome da minha nos aproxima ainda mais, eu acho!! E este vestidinho dela na foto? Minha Laura teve igualzinho de moranguinho!!! Beijão para vocês e meu carinho! Lindo fim de semana!

    ResponderExcluir
  18. Oi Carol,
    obrigada pela visita,
    adorei conhecer seu blog.

    Seu texto é muito interessante e me fez pensar bastante. Aqui em casa eu tenho fama de durona, e achei que por isso seria mais fácil disciplinar o Fred, mas vejo que não funciona assim. Ainda não passei por essa experiência, mas acho que quando chegar a hora de repreendê-lo, com certeza vai doer muuuuito mais em mim...

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  19. Carol, isso tbém acontece por aqui, mais as birras e teimosias do que minhas dúvidas em dar o não ou não, mas elas existem sim com a mesmo paradoxo e dilema que vc expôs.
    Lendo seu post refleti se eu, vc e todo o mundo, nossos pais e todos , não temos uma noção errada de amor até sermos pais?Quando me tornei mãe, comecei a achar que Deus encontrou uma forma do ser humano sentir mais ou menos o que é o amor Dele. Esse amor que não é só prazer. É um amor que quer o melhor para quem a gente ama. E o melhor nem sempre é o que a pessoa quer. Essa lição precisamos estar bem conscientes como pais para passar para nossos filhos para eles crescerem com auto-responsabilidade pelas suas atitudes.

    Sei que é difícil, mas essa reflexão toda vai nos ajudando.

    Bjos

    ResponderExcluir
  20. Oi Carol!
    Esse dilema todas passamos, mas olha é necessário impor limites desde pequenos mesmo, pro próprio bem deles.
    Quem ama educa e a criança sabe, ela se sente amada, mesmo não podendo fazer tudo que deseja.
    Tenho uma filha que é muito amada, mas desde cedo precisei também pedir a Deus muita sabedoria pra dar limites, pois essa fase de colcar as manguinhas de fora é fogo...rsrsrs.
    Eles nos testam, é cansativo muitas vezes, pois temos que repetir e repetir muitas coisas, muitas ações, mas é recompensador quando começamos a colher os frutos.
    Eu digo isso porque já estou colhendo. Achei que nas fases difíceis eu tinha falhado, mas hoje vejo que não tanto. Um pouco todos falhamos, mas quando não desistimos e pedimos a ajuda de Deus, as coisas se resolvem.
    Felicidades pra você e sua família, que essa fofa da Laura seja cada dia mais amada.
    Um beijo carinhoso de toda Equipe do Recanto e obrigado pela sua presença constante por lá, smepre deixando ótimos comentários nos posts diversos.

    ResponderExcluir
  21. Nao é nada fácil ! Mas quem ama tem que aprender por limites! Dizer nao também é uma forma de amar! E olha que eles ficam tristes mas tb esquecem rápido. Depois que eles crescem mais parte ainda mais o coração , pois é assim: mas eu tô pedindo por favor, só um pouquinho, mas eu te amo Mamae! Haja coração! Beijao

    ResponderExcluir
  22. Ai, Carol, você conseguiu escrever exatamente o que sinto. Também tenho refletido muito sobre como deve ser a minha postura com relação à educação da Letícia. A necessidade de definir limites, sem exagerar nos 'NÃOS'. E ela também está começando a reclamar quando é contrariada. É um dilema mesmo, que Deus nos ajude e nos dê sabedoria para enfrentar o que vem pela frente. Beijos.

    ResponderExcluir
  23. Carol essa missão não é fácil.
    Confesso que tá dificil chegar em casa e ficar impondo limites, ver Samuel chorando e não enche-lo de beijos e mimos.
    Santa culpa da mãe que trabalha fora.
    Mas a gente consegue.
    Bjks

    ResponderExcluir
  24. Oi, Carol!
    Vim convidar para o SORTEIO de um Kit de Cozinha da marca inglesa ath Kidstone, no AndreaGuimBlog.
    Bora lá participar!!!
    Beijins,
    Andrea

    ResponderExcluir
  25. Tenha uma semana especial, com muitas coisas boas :D

    beijinhos

    Dri Viaro
    www.driviaro.com.br
    www.ameliasdesalto.com

    ResponderExcluir
  26. Que linda que é sua filha, parabéns. Amei o blog também, muito lindo.

    ontendency.blogspot.com

    ResponderExcluir
  27. Oi Carol,
    ih... menina... To aqui tentando lembrar a tinta e não consigo. Acho que é cansaço. Mas é só você dizer que é para pele aonde você for comprar. Todo mundo conhece!
    Beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/
    http://twitter.com/@kitaferreira

    ResponderExcluir
  28. Passando por aqui para desejar um ótimo final de semana para vcs.

    ResponderExcluir
  29. ola amiga faço parte do blogueiras unidas e hoje venho visitar seu cantinho parabens esta muito lindo ,ja estou de seguindo e te aguardo no meu cantinho se vc poder me seguir tb te agradeço http://www.atelieceliaarte.blogspot.com/ bjs

    ResponderExcluir